Em sua primeira etapa, Fita reunirá operadores em São Paulo

 

Adenauer Góes, secretário de Turismo do Pará (Foto Agência ParáAnderson Silva)

Adenauer Góes, secretário de Turismo do Pará (Foto Agência ParáAnderson Silva)

O Pará está investindo na disseminação e aprimoramento dos seus produtos turísticos. Como parte da programação da Feira Internacional de Turismo da Amazônia (Fita), o evento reunirá os principais operadores de São Paulo no dia 30 de agosto. O objetivo, conforme explicou o secretário de Turismo do Pará, Adenaur Góes, é apresentar os produtos turísticos do destino e mostrar um pouco da gastronomia do estado.

“Esperamos reunir 100 pessoas, entre agentes e operadores, no restaurante Capim Santo. Vamos apresentar o produto Pará e em seguida teremos uma palestra motivacional. Vamos encerrar esta atividade com um jantar para apresentar a gastronomia paraense”, explicou Góes.

Depois, disso, no dia 31, a chef paraense Daniela Martins, do restaurante Lá em Casa, de Belém, irá cozinhar no tradicional restaurante paulistano Dalva & Dito do chef Alex Atala. Outra atividade gastronômica será o chef do restaurante Casa do Saulo, localizado em Santarém. Ele irá preparar um jantar típico no Soul Kitchen. Para finalizar, acontece um seminário sobre a gastronomia paraense no Mercadão de Pinheiros.

Estas atividades fazem parte da primeira etapa da Fita 2017, que terá a sua segunda parte realizada entre os dias 21 e 24 de setembro no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia. “Trata-se de um evento com formato diferenciado no Brasil. A primeira inovação é ter estes dois momentos. Primeiro, vamos ao principal mercado consumidor de viagens, mostrando nossa capacidade, ampliando a capilaridade e, depois, articulando e estruturando os produtos”, afirmou.

Góes destacou ainda que a Fita tem também como missão ampliar a visão pan-amozônica do trade. Segundo ele, a ideia é mostrar ao mercado a visão dos nove países que compõem a região.

A feira reunirá a exposição de produtos e serviços de empresas de turismo e gastronomia, a Vitrine Cultural com produtos do arranjo produtivo local do programa Alimentação Fora do Lar e produção associada das rotas turísticas (Belém-Bragança, do Queijo do Marajó, do Cacau e Chocolate, do Vale do Xingu), espaço destinado ao Passaporte Pará para comercialização de destinos, rotas, roteiros e produtos turísticos do Estado, além de apresentações culturais de artistas dos seis polos de turismo paraense: Belém, Amazônia Atlântica, Araguaia Tocantins, Marajó, Tapajós e Xingu.

Entre as principais novidades pensadas e elaboradas pelo corpo técnico da Secretaria de Estado de Turismo, a fim de modernizar a feira e de colocar o evento em nova era e no mesmo patamar das mais importantes feiras de turismo nacionais, a renovada Fita terá também a Mostra Gastronômica do Pará e a Oca do Conhecimento. A Mostra terá apresentação de iguarias e produtos gourmet presentes nos territórios de rotas de turismo e gastronomia.

Já a Oca do Conhecimento promoverá eventos técnicos como seminários, fóruns, convenções, workshops e palestras, entre eles a Convenção dos Turismólogos, Seminário de Cooperação Pan-Amazônica para desenvolvimento do turismo e gastronomia, Oficina Culinária de Embutidos e Defumados, reunião do Fórum Técnico de Indicação Geográfica e Marcas Coletivas do Estado do Pará, workshop de inovação em Design Thinking, cases de sucesso da atividade turística, entre outros, envolvendo empresários do trade, profissionais do setor e gestores públicos, trocando experiências e conhecimentos para desenvolvimento da atividade turística paraense.

“Temos um plano de desenvolvimento muito bem definido. Turismo, Gastronomia, Cultura e Natureza são as principais matérias primas que temos. A ideia é que Belém seja o portão de entrada da Amazônia, mas com o viés cultural e também se sobressaindo na questão da cultura gastronômica”, finalizou Góes.