pa.abra

A velha politica acabou, e o que vale hoje é a comunicação direta do Estado com a sociedade, transportando-se o real pela via digital



“Seremos os protagonistas da construção de um Brasil novo”, afirmou Paulo Solmucci, presidente da Abrasel, ao anunciar que em breve estará disponível nas telas de todos os computadores e smartphones a plataforma digital da entidade, com dados, análises, e ferramentas de qualificação aos profissionais do setor de alimentação fora do lar. A plataforma é o eixo central de um projeto denominado Conexão Abrasel. O foco é promover a qualificação de um milhão de estabelecimentos espalhados no país com vistas ao aumento de produtividade e, ainda, o compartilhamento com a sociedade dos valores presentes em cada bar, café, lanchonete, bistrô e restaurante. “Os bares e restaurantes são os elos espontâneos com o seu entorno. Podem ser a base para se tecer uma sociedade nacional em rede, conectando-se diariamente os 85% dos brasileiros que moram nas cidades, isto é, mais de 170 milhões de pessoas.

Esses estabelecimentos provocam impactos sociais altamente positivos, e que precisam ser difundidos, para que sejam lembrados. Muitas vezes, é depois do encerramento das atividades de um bar ali da esquina que a vizinhança percebe o valor primordial que tinha, ao propiciar vida e sensação de segurança àquele lugar”, disse Solmucci.

“Naturalizamos certos atos, como o de respirar ou abrir uma torneira. Só quando a torneira seca ou o ambiente fica contaminado pela poluição é que nos damos conta do real valor da água potável e do ar puro. O que não é falado, não é lembrado. Da mesma forma, o que não é mostrado, não é notado”. Solmucci reitera que os valores intrínsecos ao setor da alimentação fora do lar terão um destacado espaço na plataforma digital do projeto Conexão Abrasel.

“Às vezes, alguém do nosso meio me pergunta se não seria mais importante a plataforma se dedicar exclusivamente à melhor qualificação do empreendedor, solucionando seus muitos problemas do dia a dia, do que fazer uma difusão dos valores sociais dos bares e restaurantes. Sempre respondo o seguinte: os impactos sociais positivos dos bares e restaurantes obviamente só acontecem se os bares e restaurantes existirem. Então, é preciso que cuidemos de sua sobrevivência, da sua sustentabilidade financeira e econômica, por meio das melhores práticas de gestão, do aumento da produtividade. Simultaneamente, sempre temos de reafirmar os impactos sociais positivos que os nossos negócios provocam na sociedade”.

O dono do bar é muito importante, porque ele é a sociedade lá na ponta

O agrônomo João Henrique Hummel, diretor-executivo da Frente Parlamentar Agropecuária, vê no projeto Conexão Abrasel “uma vanguarda conceitual, totalmente diferente e muito moderna”, porque estabelece a interlocução direta com a sociedade, sem intermediários. Ele destaca que o interesse maior dos parlamentares, que votam determinadas questões nas câmaras municipais, nas assembleias legislativas ou no Congresso Nacional, vem do interesse dos cidadãos. “Quem elege o parlamentar? É o produtor rural? É o dono do bar ou restaurante? Não. É o cidadão”.

Durante sua trajetória profissional de 29 anos, em diferentes funções na Esplanada dos Ministérios, ele prestou serviços a várias associações (entre as quais as de produtores de semente, bolsa de mercadorias e empresas de melhoramento genético), tendo sido chefe do gabinete parlamentar do MDB,e secretário-executivo do Ministério da Agricultura. É diretor da Frente Parlamentar Agropecuária e consultor da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Comércio, Serviços e Empreendedorismo.

Hummel diz que a forma de se fazer política chegou, agora, em um ponto de inflexão. “A política velha acabou. O que vale hoje é a comunicação direta do parlamentar com a sociedade. No caso de Brasília, para exemplificar, o interlocutor do parlamentar já não é o cabo eleitoral, o prefeito ou o vereador, mas o cidadão. O dono do bar é muito importante, porque ele é a sociedade lá na ponta”.

Os líderes espontâneos são joias a serem lapidadas

Paulo Jelihovschi, diretor de transformação da Abrasel, observa que a plataforma digital do Conexão institucionalizará o bar como espaço de debate. Segundo Daniel Borges, assessor estratégico da presidência da Abrasel, isso ocorrerá porque bares e restaurantes são o cenário da vida cotidiana, podendo-se levar à rede depoimentos de frequentadores e transeuntes, que mandariam seus recados sobre a coleta de lixo ou a necessidade de um ponto de ônibus no local.

Há muitas lideranças espontâneas e autênticas à frente de um bar ou restaurante pelo Brasil afora, diz Célio Salles, empresário e membro do Conselho de Administração Nacional da Abrasel. São pessoas que, a seu ver, têm potencial para serem “lapidadas”, convertendo-se em elos da sua vizinhança com a Abrasel. Por intermédio da plataforma digital, levam-se as demandas aos canais formais da representação política do município, do Estado e da União.

Em sua opinião, dois dos maiores desafios que se apresentam nestas primeiras duas décadas do século XXI são o da geração de emprego e o do respeito à pluralidade socioeconômica. Em ambos os casos, o setor da alimentação fora do lar há muito tempo tem sido uma das melhores alternativas para solucioná-los. Em primeiro lugar, porque é um empregador intensivo de mão de obra, requerendo muito menos investimento para a geração de

um posto de trabalho do que o setor industrial. Em relação à diversidade socioeconômica, é um setor “absolutamente isento de preconceitos”, sejam eles os de escolaridade, faixa etária, gênero, crenças ou origens raciais. “Todo estabelecimento do setor é múltipla e inesgotável fonte de benefícios sociais”. A Abrasel tem uma visão que vai além dos negócios, olha o país que a gente quer Max Fonseca, outro integrante do Conselho de Administração Nacional, considera que a ideia de se conferir maior projeção às lideranças espontâneas, existentes no mundo Abrasel, resultará em um efeito “extremamente favorável” ao desenvolvimento da cultura comunitária em todo o país.

Ele diz que percebe - em muitas partes do Brasil, e particularmente no Nordeste - um tipo humano que às vezes circula em determinada região da cidade, dispondo-se a atender às demandas de um ou outro morador local. “É um personagem de interesses difusos e enviesados. Normalmente, ele veladamente se movimenta com vistas a uma candidatura para vereador, ou, então, já apoia algum vereador”.

Com o projeto Conexão Abrasel, prossegue Fonseca, abre-se um espaço arejado, influente e novo, que é o de se acentuar o papel já exercido por donos de bares e restaurantes que têm enorme capacidade de absorver informações e sugestões vindas diretamente das comunidades, podendo direcioná-las à sociedade e aos políticos por meio dos canais do Conexão. “Isso está na personalidade da Abrasel. Ao contrário das demais associações, a Abrasel não foca apenas o negócio. Tem uma visão e uma ação mais ampla: a da cidade e do país que a gente quer".

O diretor de relações institucionais da Abrasel, Newton Garcia, diz que a Abrasel teve nos últimos anos um “crescimento muito grande, atingindo um patamar de elevada credibilidade. “Tudo o que o seu presidente executivo fala nos encontros e audiências em Brasília, alcança larga repercussão”. Garcia sublinha que a plataforma digital, ao acentuar o peso político das bases do país, conferirá à entidade um lastro político ainda maior do que o que já ostenta hoje. “Realmente, o que temos em vista é um salto imenso, ampliando-se a visibilidade e as interações, pela qualidade dos conteúdos e por força dos avanços da tecnologia”.

Thiago Falcão, presidente da Abrasel em Alagoas, está convicto que o Conexão “adensará ainda mais o número de associados e a representatividade estadual” da entidade. Em sua opinião, vão-se multiplicar exponencialmente o número de ações bem-sucedidas, que foram deflagradas também no âmbito da seccional. Entre outras, citou as bem-sucedidas campanhas pela redução da taxa cobrada no vale refeição, as negociações locais que culminaram com a redução da taxa dos cartões de crédito e de débito (inclusive conseguindo-se baixar os juros relativos às operações de antecipação de recebíveis).

Fonte: Revista Bares & Restaurantes, edição 125.
Clique aqui para assinar a revista.

Comentários