pa.abra

Mamão, maracujá e laranja foram as frutas que ficaram mais caras nos primeiros três meses do ano.


Maracujá foi uma das frutas que sofreu maior alta de preços.  — Foto: Reprodução/RPC

Maracujá foi uma das frutas que sofreu maior alta de preços. — Foto: Reprodução/RPC

As frutas consumidas na Grande Belém ficaram mais caras nos primeiros três meses de 2021 no Pará, segundo o Dieese Pará. Assim como nos últimos 12 meses, as frutas tiveram reajustes acima das inflações calculadas para o período.

O levantamento foi realizado com os preços das principais frutas comercializadas em feiras livres e supermercados da Grande Belém.

As altas mais expressivas verificada no mês de março foram nos preços do quilo do maracujá, com reajuste de 9,38%; seguido do abacaxi (unidade), com alta de 4,77%; banana prata, com alta de 2,10% e do mamão, com alta de 1,77%. Também no mês passado, algumas frutas tiveram recuos de preços, com destaque para o abacate, com queda de 18,95%; do limão, com queda de 15,89% e da melancia, com queda de 2,15%.

No primeiro trimestre, as maiores altas foram verificadas nos preços do mamão, com reajuste de 9,94%; do maracujá, com alta de 8,35%; laranja pera, com alta de 8,15%; banana prata, com alta de 6,56%; abacaxi, com alta de 4,77%; melão amarelo, com alta de 2,70% e da melancia, com alta de 2,24%. Também no mesmo período analisado, poucas frutas apresentaram quedas de preços, com destaque para o abacate, com recuo de 43,48% e do limão, com queda de 31,69%.

Fonte: G1- Pa

Comentários