Acontece nesta quarta-feira a votação do parecer da denúncia contra Temer Governo usa todas as suas armas para tentar enterrar o caso na quarta-feira


A Câmara inicia nesta quarta-feira, 2, a sessão que vai analisar a denúncia por corrupção passiva contra Michel Temer, o primeiro presidente da República a ser alvo de acusação formal por um crime comum durante o exercício do mandato. Se houver quórum mínimo (342 presentes), os deputados votam por aceitar ou rejeitar o prosseguimento da denúncia.

Para o Supremo Tribunal Federal julgar a acusação da Procuradoria-Geral da República é necessário o aval da Câmara. Em caso de aceitação da denúncia pela Corte, o presidente é afastado por até 180 dias. Temer precisa do apoio de ao menos 172 deputados e intensificou nos últimos dias as articulações que incluem distribuição de cargos e emendas parlamentares.

O governo usa todas as suas armas para tentar enterrar o caso na quarta-feira (02), mesmo. O vale-tudo para tentar barrar o prosseguimento da denúncia não inclui apenas o cerco aos dissidentes na tentativa de reverter votos. O governo cobra que os líderes aliados convençam mesmo quem vai votar a favor da investigação a registrar a presença no plenário. O registro ajudaria o Palácio do Planalto a conseguir quórum e assim dar início a votação.