Rodrigo Maia diz que Câmara não aceitará mudança na reforma trabalhista


Aprovada ontem no Senado, lei deve ser sancionada em breve pelo presidente Michel Temer. Na Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia diz que não votará nenhuma MP que modifique a lei

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, afirmou que não votará nenhuma MP que modifique o texto da Reforma Trabalhista aprovado pelo Congresso


Em clima de festa. É assim que os empresários do Brasil todo se sentem com a aprovação, na noite de ontem (11), da Reforma Trabalhista no Senado. A lei segue agora para a última etapa: sanção presidencial. Para conseguir o apoio da maioria dos senadores, o presidente Michel Temer prometeu a edição de uma Medida Provisória (MP) para modificar alguns pontos da reforma, como a questão que envolve a não obrigatoriedade do imposto sindical. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que não vai votar nenhuma MP que modifique o texto aprovado pelo Congresso sobre a reforma trabalhista. "A Câmara não aceitará nenhuma mudança na lei. Qualquer MP não será reconhecida pela Casa", declarou no Twitter.

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), fez coro à mensagem de Maia e voltou a afirmar que não participou de nenhuma negociação em relação à MP. "Estou tranquilo sobre isso.  Não tratei de MP e nenhum compromisso sobre mudanças no texto", disse. A expectativa, segundo o presidente-executivo da Abrasel, Paulo Solmucci, é que o presidente Michel Temer aprove a Reforma sem nenhum veto que promova grandes alterações no acordado, mantendo a regulamentação do trabalho intermitente na lei. Com esta decisão, a previsão é que só no setor de alimentação fora do lar sejam criadas 2 milhões de novas vagas de emprego nos próximos cinco anos. Solmucci destaca ainda a importância do trabalho conjunto com outras entidades para que isso se tornasse realidade, sobretudo a União das Entidades de Comércio e Serviços (UNECS). “Temos trabalhado há quase duas décadas para que isso se tornasse realidade. Destaco aqui a atuação em conjunto com a UNECS e com a Frente Parlamentar em Defesa do Comércio e Serviços, presidida pelo deputado Rogério Marinho (PSDB-RN), além da liderança impecável do deputado Rodrigo Maia e do senador Eunício Oliveira, que entenderam a importância dessa Reforma para o País e se comprometeram a trabalhar em prol da mesma. A declaração de Maia deve ser aplaudida por todos os empresários brasileiros”, finaliza.

Liderança e relatoria do deputado Rogério Marinho (PSDB-RN), que preside a Frente Parlamentar CSE, foi fundamental para aprovação da Reforma Trabalhista


Fonte: Com informações do UOL Economia