Valor do camarão diminui e restaurantes de Brasília já reduzem preços


Estabelecimentos da cidade diminuíram o preço do quitute após a liberação das importações do insumo

alt

Os dois últimos anos, restaurantes e consumidores de todo o país se assustaram com a repentina alta do valor do camarão, que chegou a dobrar, levando o preço do produto às alturas. O motivo do reajuste foi a disseminação do vírus mancha branca em várias partes do Brasil, causando grandes perdas nos principais criadouros do crustáceo.

Em função desse cenário, a Abrasel no Distrito Federal solicitou ao Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) a reabertura das importações de camarão, proibida desde 1999. Após uma verdadeiro queda de braço entre produtores nacionais e donos de restaurantes, o governo liberou, no fim de 2017, a entrada ao país do crustáceo limpo e sem cabeça do Equador.

Com uma maior oferta do produto disponível no mercado, o valor do camarão começa a apresentar as primeiras reduções. Com isso, estabelecimentos do DF começam a reajustar os valores dos cardápios para trazer de volta os clientes perdidos. No último mês, a rede Coco Bambu e o restaurante Oliver, por exemplo, anunciaram uma diminuição de cerca de 10% nos preços dos pratos que têm a iguaria como ingrediente principal.

“Naturalmente, pela própria dinâmica do mercado, a gente vai ver esses preços caírem com o passar do tempo”, afirma o presidente da Abrasel no DF, Rodrigo Freire – também proprietário do restaurante Oliver. Ele lembra que o estabelecimento chegou a retirar o buffet de Paella, antes servido semanalmente, devido aos valores dos insumos.

Beto Pinheiro, um dos sócios do Coco Bambu, explica que a redução de preço no menu faz parte de um compromisso firmado pelo restaurante em 2017. “Quando tivemos de aumentar os valores devido à baixa disponibilidade do produto, prometemos que faríamos o caminho inverso após a normalização do mercado”, diz. A salada ceaser de camarão, por exemplo, sofreu queda de 26% no preço.

Fonte:
Metrópoles